Das várias coisas que podemos considerar admiráveis na Porsche, uma delas é sua capacidade de nos surpreender – mesmo em 2018, no auge da era da informação! 

A cada 3 ou 4 anos se realiza um dos eventos mais emblemáticos para os fãs da Porsche do mundo, a Rennsport Reunion, no não menos emblemático circuito de Laguna Seca, no estado da Califórnia, nos EUA. É a sexta edição do evento que reúne quase todos os carros de corrida da Porsche em um mesmo lugar, ou seja, há muito mesmo para ver…

E ninguém desconfiava que, durante a sexta edição da Rennsport Reunion, a fabricante traria subitamente de volta à vida um de seus nomes mais importantes no automobilismo: o Porsche 935! 

Trata-se de um tributo ao Porsche 935/78, mais conhecido como “Moby Dick”, recriado para os nossos dias e simplesmente chamado de Porsche 935… e olhem para ele… Também simplesmente arrebatador!


“Este carro espetacular é um presente de aniversário da Porsche Motorsport para os fãs de todo o mundo. Já que este carro não precisa ser homologado, os engenheiros e designers não tiveram de seguir as regras habituais, e assim tiveram liberdade no seu desenvolvimento!”

Dr. Frank-Steffen Walliser, Vice-Presidente Porsche Motorsport

O conceito é 100% fiel ao 935 original da década de 1970, no sentido de que é um Porsche 911 com a carroceria modificada. O carro usado como base não poderia ser outro a não ser o 911 GT2 RS, a variação mais potente e veloz do 911n. Não foram realizadas alterações no motor, que continua sendo um flat-six biturbo de 3.800 cm³ (curso x diâmetro de 77,5 mm x 102 mm) com obscenos 700 cv a 6.700 rpm e 76,5 mkgf de torque entre 2.500 e 4.500 rpm. Para não dizer que nada mudou, a Porsche instalou um novo sistema de escape com saídas centralizadas e ponteiras claramente retrô.

A transmissão é PDK de dupla embreagem e sete marchas, com sistema de arrefecimento ativo para o fluido e diferencial de deslizamento limitado redimensionado para uso em competição. Na prática, a maior parte do conjunto mecânico é idêntico ao do Porsche 911 GT2 RS: seu tempo de 6:47,3 em Nürburgring nos dá a certeza de que isso não foi exatamente má ideia! Se o powertrain é quase original, o mesmo não vale para quase todas as outras coisas. Para começar, a grande maioria dos painéis de carroceria foi substituída por componentes de fibra de carbono e Kevlar inspirados pelo Porsche 935/78.

A nova carroceria aumentou todas as dimensões físicas do Porsche 911 GT2 RS. Originalmente eram 4.549 mm de comprimento, 1.978 mm de largura, 1.297 mm de altura e 2.453 mm de entre-eixos. No 935 são 4.865 mm de comprimento, 2.034 mm de largura, 1.359 mm de altura (por conta da asa) e 2.457 mm de entre-eixos.

Por outro lado houve uma redução considerável no peso, de 1.545 kg para 1.380 kg. Isto se traduz em uma relação peso/potência de 1,97 kg/cv –no GT2 RS são 2,2 kg/cv. Além da carroceria no geral, os detalhes do novo Porsche 935 ecoam outros carros de competição da fabricante: luzes de LED iguais às do Porsche 919 Hybrid, espelhos retrovisores inspirados pelo Porsche 911 RSR (vencedor das 24 Horas de Le Mans de 2018 na categoria GTE) e as já citadas saídas de escape que remetem às utilizadas no Porsche 908 de 1968. O resultado é um ronco ainda mais selvagem que no 911 GT2 RS “normal”.

Os novos elementos aerodinâmicos são totalmente funcionais: isso inclui as entradas de ar maiores na dianteira, que abrigam os faróis; as saídas de ar no topo dos para-lamas para escoamento de fluxo de ar nas caixas de roda (reduzindo o arrasto e a sustentação aerodinâmica); os retrovisores e, claro a nova traseira, que cumpre a mesma função que tinha no 935 original, de mitigar a quebra de camada-limite de ar e minimizar ao máximo o arrasto (leia esta nossa matéria sobre aerodinâmica para compreender!). A asa traseira, com 1.990 mm de largura e 400 mm de profundidade, ajuda no equilíbrio aerodinâmico.

Super limitado: Apenas 77 unidades

Como seria de esperar, o Porsche 935 será mesmo algo muito exclusivo! A Porsche define o 935 como um carro de corrida, porém ele não está homologado para participar em qualquer competição, assim como não também está homologado para andar na via pública. Então seu uso como carro de track day é o destino mais certo.

Apenas 77 unidades serão produzidas, todos eles pintados de cinza Agate (que é quase branco, convenhamos. O primeiro carro recebeu as cores da Martini Racing, e a livery será oferecida como opcional. O preço? Exatamente € 701.948, o que dá R$ 3.282.919 em conversão direta.