O novo BMW X7 já é uma realidade. Depois de ver um extenso programa de testes do modelo em fotos de protótipos, o veículo chega para coroar a linha SUV do fabricante de Munique. Oficialmente estreará no Salão de Los Angeles no final de novembro e será colocado à venda em março de 2019.

O rival direto do Mercedes-Benz GLS chega com um detalhe de design que significa o cume de todos os modelos: a enorme grade do radiador, ladeada por faróis que também são os mais finos que o fabricante alemão projetou, uma reprodução que também se traslada às lanternas traseiras seguindo o rastro do Série 7 e unidos com uma lista cromada.

As generosas dimensões do novo X7 também permitem oferecer um espaço interior digno de uma autêntica primeira classe, com capacidade para até sete passageiros, podendo ser solicitado opcionalmente com a última fila somente com dois assentos, todos com regulagem elétrica longitudinal, de forma que a fila central pode deslocar-se nada menos que 145 milímetros.

O novo SUV da BMW apresenta um comprimento de 5.151 mm, uma largura de 2.000 mm, uma altura de 1.800 mm e uma distância entre-eixos de 3.105 mm. O volume do porta-malas varia entre um mínimo de 326 litros e um máximo de 2.120 litros. Além disso, a tampa traseira é de acionamento elétrico e está dividida em duas peças para facilitar o acesso, o que também pode ser realizado a partir de uma função especial da suspensão pneumática que rebaixa ainda mais a soleira da carga.

Em relação ao interior, na parte dianteira o painel segue o design dos últimos novos modelos da empresa, com um quadro de instrumentos digital e uma tela de 12.3 polegadas de série em todas as versões, ao mesmo tempo em que o sistema de infotainment também dispõe de uma generosa resolução.

Em termos de equipamento, o BMW X7 pode contar com um climatizador automático de cinco zonas, inclusive com comandos de controle e um sistema de entretenimento para os passageiros dos bancos traseiros, mas os ocupantes da terceira fila terão que se conformar com duas entradas USB. Como opcional também estará disponível um dos maiores tetos panorâmicos de vidro do mercado, o ‘Sky Lounge’, com iluminação LED simulando um céu estrelado, como nos modelos da Rolls-Royce.

Equipado com a última geração do sistema iDrive, o X7 dispõe do ‘assistente pessoal inteligente’, que entende ordens de linguagem natural, aprende os hábitos do condutor e pode ser controlado parcialmente com gestos.

O novo SUV também pode contar com faróis laser e os avançados sistemas de assistência ‘Driving Assistant Professional’, uma função de condução semi-autônoma que pode parar o carro completamente se for necessário, e inclusive realizar ultrapassagens com o simples gesto de ativar o pisca. Esse pacote de assistentes também inclui um assistente de parada de emergência, alerta de tráfego cruzado e consegue conduzir até 50 metros somente para trás.

Todas as versões do novo BMW X7 incluem suspensão pneumática de série, com um modo esportivo que rebaixa a altura do chassi em 20 milímetros a partir de 140 km/h, ao mesmo tempo em que se pode variar a altura de forma ‘manual’ somente pressionando um botão e aumentando a distância ao solo em 40 milímetros. Além disso, junto com a direção ativa integral opcional, o fabricante assegura que é a combinação ideal para oferecer um comportamento dinâmico estável, inclusive em curvas.

Também como opcional, são oferecidas barras estabilizadoras ativas que, em combinação com o pacote ‘Off-Road’, acrescenta quatro modos de condução adicionais – ‘xSnow’, ‘xSand’, ‘xGravel’ e ‘xRocks’ – selecionáveis a partir de um comando específico. Esse pacote só está disponível para as versões xDrive40i e xDrive30d.

A motorização será formada por propulsores de combustão, com uma versão a gasolina de seis cilindros e 3.0 litros para a Europa, o xDrive40i, que desenvolve uma potência máxima de 340 v. Para o mercado americano, será oferecido também o xDrive50i com uma potência máxima de 462 cv, fruto do motor V8. 

Na linha diesel haverá duas opções: o xDrive30d com o motor de seis cilindros em linha e 3.0 litros que desenvolve uma potência máxima de 265 cv e o potente M50d, com o mesmo motor anterior, mas que acrescenta quatro turbos e chega até os 400 cv. Todas as versões surgem associadas ao sistema de tração total xDrive – o M50d conta com um diferencial de deslizamento limitado no eixo traseiro de série – e à transmissão automática de oito velocidades assinada pela ZF.