Há alguns anos, a Mercedes-Benz parecia disposta a conservar seu poderoso motor de doze cilindros para seus modelos de maior desempenho, mas a entrada em vigor dos cada dia mais exigentes protocolos antipoluição não parece ser um bom aliado para esses propulsores que produzem altos números de consumo e de emissões.

No entanto, a fabricante alemã está pronta para aposentar o seu icônico motor, que deixará de ser fabricado quando os atuais Mercedes-AMG S 65 e Mercedes-Benz S 600 L chegarem ao final de seu ciclo de produção. O motor V12 de 6.0 litros e até 620 cv de potência dirá adeus de forma definitiva quando finalizar a produção dos modelos que ainda o utilizam, e em seu lugar o fabricante alemão já pensa na hibridação para suprir a ausência do poderoso motor de doze cilindros.

Mercedes-AMG S65 2018 (Photo by Michael Shaffer)
Mercedes-AMG S65 2018 (Photo by Michael Shaffer)

O CEO da Mercedes-AMG, Tobias Moers, falou no Salão de Paris 2018 que o motor V8 será o encarregado de suprir a ausência do V12, mas a marca alemã apostará na hibridação para conseguir mantê-lo com vida. De acordo com os últimos dados revelados pela empresa, os próximos modelos da Mercedes-AMG utilizarão um motor V8 biturbo em combinação com dois motores elétricos de 100 kW, um sistema de propulsão híbrido plug-in que desenvolverá uma potência de quase 800 cv.

Muitos talvez questionem o que ocorrerá com a Pagani, que utiliza os motores de doze cilindros fornecidos pela AMG para propulsionar os seus Zonda e Huayra. Ao que parece tudo continuará como até agora, de acordo com recentes declarações de Horácio Pagani, quem confirmou que o seu novo superesportivo que já se encontra em desenvolvimento contará com um motor V12 exclusivamente projetado pela AMG. No entanto, a eletrificação já figura nos planos da marca italiana, já que recentemente confirmou que já tem uma equipe de vários especialistas trabalhando naquele que será seu primeiro modelo puramente elétrico.