O hiper carro da Mercedes-AMG não é mais um projeto. O aguardado híbrido, impulsionando por um motor a combustão e outros elétricos, já tem nome: simplesmente “One”. Até então o modelo era conhecido simplesmente como Project One.

Além de oficializar o nome, a Merces-AMG também divulga novas informações sobre as capacidades aerodinâmicas do One, que incluem uma asa traseira de dois estágios com várias partes projetadas para maximizar o downforce do carro no modo de corrida.

Com uma velocidade máxima esperada de mais de 351 km/h, o One é equipado com um motor V6 turbo 1.6 de 671 cv e quatro motores elétricos para extrair um total de mais de 1.000 cv de potência. Uma informação ainda não confirmada é a de que o motor 1.6 a gasolina foi desenvolvido para trabalhar em altíssimos 11.000 rpm e precisará ser reconstruído a cada 50.000 quilômetros.

Como é de comum num segmento como este, a exclusividade faz parte do projeto. Para incrementar ainda, a Mercedes anunciou que os afortunados compradores do One poderão acompanhar todo o progresso do desenvolvimento do veículo por meio de um novo showroom móvel localizado em Munique.

Batizado como “The Future of Driving Performance”, o trailer customizado oferecerá aos futuros donos do One a oportunidade de se sentar no cockpit do veículo e testemunhar seus vários extras opcionais. 

Todas as 275 unidades limitadas do hipercarro híbrido capaz de gerar mais de 1.000 cv foram vendidas por, acreditem, por 2,27 milhões de euros cada uma. O valor representa algo como R$ 10,62 milhões, em conversão direta e sem taxas. Entre os futuros proprietários estão dois brasileiros que vivem no exterior. Ou seja, os modelos não serão mantidos no Brasil e por razões óbvias a montadora não divulga em qual país eles vivem.