Com o fim do programa Inovar-Auto ainda este ano, os fabricantes já começam a ter perspectivas otimistas para 2018. A Kia Motors foi a primeira a anunciar novidades e chega o ano que vem com quatro novos lançamentos para 2018: o hatch Rio, o novo Picanto, o novo sedã Cadenza e o sedã esportivo Stinger!

A marca anunciou uma renovação em seu portfólio devido ao fim do programa Inovar-Auto. Com o fim desse regime, que teve início em 2013 na tentativa de incentivar as montadoras a instalarem suas fábricas no Brasil, uma taxa de 30 pontos percentuais no Imposto sobre Produtos Industrializados (o famoso IPI) sobre carros importados fabricados fora do Mercosul será eliminada. Para as montadoras que não tinham fábrica no Brasil, como é o caso da Kia, tinha sido imposto um limite de 4.800 unidades por ano que poderiam ser trazidas do exterior sem a cobrança extra desta taxa.

Os coreanos da Kia se prejudicaram com esse regime, já que toda a sua linha de veículos comercializados no Brasil é importada. Mas a partir de janeiro, quando o programa acabar, a sobretaxa deixará de ser cobrada, bem como a cota por unidade irá acabar. Os quatro lançamentos anunciados serão importados.

Com o fim do regime, portanto, a fabricante anunciou um investimento de R$ 165 milhões para 2018 e projeta a comercialização de mais do dobro das unidades comercializadas em 2017. Esse volume permitirá a importadora contribuir com o recolhimento de impostos na ordem de R$ 1,2 bilhão, 140% mais em relação aos R$ 500 milhões previstos para este ano de 2017, segundo dados da fabricante.

O hatch Rio será importado do México e chega com motor 1.6 flex de 130 cv e cerca de 15,4 mkgf. Trata-se de um hatch com dimensões próximas às do novo Volkswagen Polo. Tem 4,07 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,46 m de altura e 2,58 m de entre-eixos (contra, respectivamente, 4,05 m, 1,75 m, 1,47 m e 2,56 m do Polo). Fiat Argo, Hyundai HB20, Toyota Etios e Ford New Fiesta também estão na mira do coreano. Assim como em seu país de origem, o Rio deverá chegar as opções de câmbio manual e automático, sempre com seis marchas. Os preços deverão ficar entre R$ 50.000 e R$ 70.000.

A nova geração do Picanto também virá e mantém o motor três cilindros 1.0 de 80 cavalos. Assim como o atual, o compacto deverá ter versões com transmissão manual e automática, e preços iniciais perto dos R$ 40.000. Apesar da motorização, porém, a versão importada será a GT, com visual esportivo.

O novo sedã Cadenza, que teve sua primeira aparição no Brasil no Salão do Automóvel de 2016, também vai dar as caras no mercado tupiniquim. Atualmente vendido no Brasil ainda em sua configuração antiga por R$ 154.900, o concorrente de Ford Fusion, Hyundai Azera, Honda Accord e Toyota Camry chegará equipado com um motor V6 3.3 GDI de 290 cv, além de diversos itens tecnológicos de segurança, como assistente para saída involuntária de faixa, frenagem de emergência autônoma, alertas de pontos cegos e head up display.

Já o sedã esportivo Stinger era inesperado no Brasil e será uma ótima surpresa! É uma arma da Kia apontada diretamente para BMW Série 4 GrandCoupé e Audi A5 Sportback, já que se trata de um sedã-fastback com tração traseira, totalmente pronto para a briga com todos esses grandes nomes do seguimentos.

Para isso a marca anunciou que o Stinger chegará em Brasil em ao menos duas versões: uma equipada com motor 2.0 de quatro cilindros biturbo GDI de 255 cv e 35,9 mkgf na versão de entrada; e outra com um V6 3.3 biturbo GDI de 370 cv e 50,9 mkgf que chega a velocidade máxima de 270Km/h. Ambas têm transmissão automática de oito marchas, alternando entre tração traseira ou integral. Para o V6, a direção tem relação variável e os freios a disco (ventilados na dianteira e sólidos na traseira) têm pinças Brembo.

Segundo declaração da Kia Motors do Brasil, em 2018 serão inauguradas 25 novas lojas (sendo 10 previstas já para janeiro e 15 até o final do ano), 1.300 novos empregos diretos serão gerados e a expectativa é de que 20.000 veículos sejam comercializados no ano.

A depender da situação, outros três modelos virão ao país! O primeiro, já anunciado em novembro de 2016, poderá ser o Soul EV ─ versão totalmente elétrica do crossover, que é abastecida através da tomada em cerca de cinco horas (em 240V). Com a bateria cheia, o modelo de tração dianteira e 29 mkgf promete autonomia de até 199 km e velocidade máxima de 145 km/h.

O Optima Hybrid também poderá chegar às lojas brasileiras em sua versão que dispensa recargas em tomadas. Nos Estados Unidos, o modelo combina um motor 2.0 a gasolina de 156 cv e um elétrico de 51 cv que resultam em 195 cv em uso simultâneo. Por aqui, é possível que o Optima híbrido não saia por menos de R$ 150.000, uma vez que seu principal concorrente ─ o Ford Fusion Hybrid ─ parte de R$ 160.900. O Prius, híbrido mais barato do país, sai por R$ 126.600, seguido do Lexus CT200h, por R$ 135.150.

O último pretendente ao mercado brasileiro é o Niro, também exposto no último Salão do Automóvel. Nascido como um híbrido, o SUV é movido por um motor 1.6 a gasolina de 105 cv e um elétrico de 44 cv, que apresentam potência e torque combinados de 141 cv e 27 mkgf, respectivamente. A transmissão tem dupla embreagem e seis marchas. Ainda sem estimativa de preços, o Niro não deverá ficar abaixo dos R$ 120.000.

Em relação aos modelos híbridos e elétrico, a Kia aponta que a comercialização no Brasil ainda depende de uma política de tributação diferenciada a estes tipos de veículos. Além das quatro novidades, a Kia confirma a continuação dos atuais Cerato, Sportage, Sorento, Soul, Grand Carnival e o caminhão Bongo. A marca não comenta sobre a disponibilidade dos sedãs Quoris e Optima.