Um carro de mil kilos que chegou a receber um Ford V8 427 7.0l de 485cv. Sim meus amigos, não sei o que você pensa ao ler isso, mas eu só consigo imaginar que, com meus poucos 20 anos de maturidade, eu não ficaria um mês dirigindo um carro assim sem rodar na pista e voar em uma árvore.

Mas estamos falando de Carroll Shelby.

Shelby foi um piloto durante os anos 50, que até se consagrou ao vencer as 24h de Le Mans em 1959, porém, nesse mesmo ano teve de abandonar as pistas por motivos de saúde. Mas mal sabia que jamais abandonaria os carros e a velocidade.

Durante 1961, Shelby descobriu um simpático carro produzido por uma marca inglesa, o AC Ace, que utilizava os motores 6 em linha da Bristol. Carroll enviou para a Inglaterra uma carta, pedindo que a AC fizesse uma carroceria para ele que aceitasse um motor V8. Era o início de uma lenda.

A AC aceitou e Shelby foi até a Chevrolet pedir um motor V8. Com medo de estabelecer uma concorrência ao Corvette, a Chevy não topou a proposta de Carroll. Porém, pelo mesmo motivo que a Chevrolet não topou, a Ford topou. Assim, a Ford enviou dois exemplares de seu novo motor: um Windsor small-block V8 de 3.6l, que entrou embaixo do primeiro Shelby Cobra.

Assim começou a parceria. A AC enviava carrocerias completas, faltando somente motor e câmbio, para a América e a Shelby-American fazia o que sabia de melhor. Ao todo 75 Mk1 Cobras foram fabricados com o motor 4.3l. Outros 51 modelos foram fabricados com o motor Ford de 4.7l.

Shelby Cobra Mk1

No início do ano de 1963, Alan Turner, engenheiro-chefe da AC, propôs algumas modificações visuais ao cobra, para poder encaixar um diferencial mais moderno e uma tecnologia de direção mais moderna, emprestada da também inglesa MG. Usando a mesma motorização, foram produzidos ao todo 528 cobras dessa geração chamada “Mark 2”.

Shelby Cobra Mk2

Porém, foi em 1965 que surgiu o completo monstro. O Cobra já estava sendo um completo sucesso nas competições automobilísticas da época, mas Carroll, um aficionado por potência, queria mais.

Surge então o Cobra 427. Com suspensão e carroceria adaptados para tal, o carro passou a receber um motor Ford 427 de fuckin 7.0l. A versão “comum” de rua produzia 425hp e 262km/h de velocidade final. Já a versão de competição tinha 485hp e batia os 300km/h. Sim, 300km/h em 1965. Se tinha um carro que te fazia não ter certeza se iria voltar pra casa vivo de um passeio de fim de semana era esse.

Curiosamente, um dos modelos mais caros do Cobra atualmente veio daí. As 100 versões de competição planejadas não conseguiram ser homologadas pela FIA para aquele ano, fazendo com que só 56 carros fossem produzidos. Desses 56, 31 foram “amansados” e receberam um vidro, para poderem rodar na rua. Os 31 foram vendidos como Cobra S/C, que significava “semi-competition”, por ainda ser um carro de corrida porém dentro das regulações de rua. Atualmente, um pode ser vendido acima de 1 milhão e meio de dólares em leilões por aí.

Shelby Cobra Mk3 S/C

No ano de 1967, as vendas do Cobra não estavam mais sendo lucrativas para as empresas, tendo que ter sua produção encerrada.

Duas edições especiais do Cobra merecem meu destaque:

A primeira é o Cobra Dragon Snake. Esse era um pacote de arrancada oferecido pela Shelby, que produziu somente 7 do mesmo. O mais famoso é o modelo CSX2093, que venceu diversos campeonatos de arrancada onde passou. Irada a sua cor rosa-glitter inclusive, que mostrava a personalidade dos pilotos Bruce Larson e Jim Costilow.

O segundo é o Cobra Super Snake. Em 1966, Carroll teve a insana ideia de botar dois superchargers no motor de um Cobra. Esse monstro simplesmente bateu 800cv e fazia um 0-100 em absurdos 3.2 segundos. Novamente, isso em 1966.

Esse foi um carro do próprio Shelby por muitos e muitos anos, afinal, só o mesmo para domar um monstro desses.

Seu amigo próximo, o comediante Bill Cosby ficou fascinado pelo Super Snake e pediu que fosse feito um para o mesmo. Assim foi feito, porém ao ter o carro em suas mãos, Cosby tinha medo de dirigi-lo, pois o achava muito perigoso. Vendeu o Super Cobra a um sujeito comum, e o que aconteceu? Isso mesmo que você imaginou, o novo comprador perdeu o controle do carro e voou de um barranco diretamente nas águas do Oceano Pacífico, morrendo na mesma hora.

Shelby Cobra Super Snake, que pertenceu a Carroll

Atualmente, o Shelby Cobra figura entre os carros mais lendários da história, com um original valendo acima de um milhão de dólares em leilões mundo afora.

Obrigado e até a próxima!!